[ editar artigo]

COMUNICAÇÃO SOCIAL E JORNALISMO: qual a diferença?

COMUNICAÇÃO SOCIAL E JORNALISMO: qual a diferença?

 

Olá, alunos e demais leitores!

Dando continuidade ao nosso papo sobre a profissão jornalista, hoje vim esclarecer uma questão que pode suscitar algumas dúvidas.

Bom... Jornalista é aquele que se formou em jornalismo, certo?
Não necessariamente!

Um jornalista pode ter feito uma graduação em Comunicação Social; foi o meu caso, por exemplo.

Mas qual as diferenças entre os cursos superiores de Bacharelado em Comunicação Social e Bacharelado em Jornalismo?

Vamos lá:

A COMUNICAÇÃO SOCIAL é um campo bastante amplo. Profissionais formados neste curso são, em primeira medida, COMUNICÓLOGOS.

Os estudantes têm acesso, ao longo desse curso, a conhecimentos diversos da Ciência da Comunicação e, por isso, são qualificados para atuar em diferentes frentes relacionadas a essa ciência e não somente no Jornalismo.

Geralmente, o curso de Comunicação Social reúne conteúdos relacionados a pelo menos quatro profissões diferentes. São elas:

  • Jornalismo;

  • Publicidade e Propaganda;

  • Relações Públicas;

  • Rádio e TV. 

Até o 4º período (2 primeiros anos da graduação), os alunos, interessados em qualquer uma dessas áreas, compartilham as mesmas disciplinas. 
Somente a partir do 5º período (3º ano), esses cursos são, de fato, segmentados.

O aluno que opta pelo "jornalismo" no 5º período, forma-se, então, em "Comunicação Social com habilitação em Jornalismo". 
Caso optasse por "Publicidade e Propaganda", sua habilitação seria, portanto, nessa área.

O benefício desse curso é, claro, a possibilidade de obter conhecimentos sobre práticas distintas englobadas pela Ciência da Comunicação.

Na matriz curricular do curso em que eu obtive o meu título, tive, no 4º período, as disciplinas: "Introdução ao Jornalismo", "Introdução à Publicidade e Propaganda" e "Introdução à Relações Públicas".

Como o nome já diz, recebi informações introdutórias sobre cada uma dessas áreas para que eu pudesse escolher, a partir de vivências e argumentos bem fundamentados, em qual das áreas eu gostaria de me habilitar para atuar profissionalmente.

Já uma possível desvantagem desse curso é o fato de dedicarmos 2 anos (metade da formação) a disciplinas não-específicas.

Por isso, há outras opções, como a formação estrita. No caso que abordamos aqui: o curso de Bacharelado em JORNALISMO.

Este, por sua vez, objetiva formar profissionais para atuarem especificamente como jornalistas.

Todas as disciplinas, teóricas ou práticas, de todos os períodos, são voltadas para essa área (que, por si só, já é bastante diversificada, como já vimos AQUI).

O benefício, neste caso, é, então, o nível de aprofundamento que é possível alcançar, considerando que serão 4 anos dedicados exclusivamente a um campo (ainda que múltiplo) de atuação.

A desvantagem, se é que há uma, advém do mesmo princípio. Formando-se em uma área específica, relega-se outros campos profissionais. 


Em linhas gerais, podemos dizer que o Jornalismo é um dos segmentos da Comunicação Social, mas é possível obter uma formação mais abrangente ou mais específica, a depender do curso que você escolher. 

Conseguiram entender?

Em caso de dúvidas, vocês podem deixar um comentário aqui ou mesmo entrar no nosso grupo do TELEGRAM.

Até o próximo post!

UCAM Academy
Ulli Marques
Ulli Marques Seguir

Jornalista e professora na Ucam EAD. Mestranda em Cognição e Linguagem (UENF), especialista em Literatura, Memória Cultural e Sociedade (IFF), bacharel em Comunicação Social e licenciada em Letras (Língua Portuguesa e Literaturas).

Ler conteúdo completo
Indicados para você