[ editar artigo]

5 dicas para quem deseja investir em renda fixa

5 dicas para quem deseja investir em renda fixa

Quando se fala em investimentos muitos pensam ser necessário grande quantidade de dinheiro ou muito tempo com dinheiro no fundo de renda fixa para conseguir lucrar. 

No entanto, poucos sabem como aproveitar e explorar ao máximo os recursos e opções de renda fixa - modelo de investimento considerado uma das melhores maneiras de investir no país. 

Por outro lado, ainda faltam profissionais qualificados para atender a demanda e exercerem posições de Analistas, Consultores de Investimentos, entre outros. 

Neste artigo, vamos trazer os conceitos fundamentais e compartilhar dicas para você que deseja seguir carreira neste segmento.

O que é a renda fixa?

A resposta está em um conceito fácil de entender: nos investimentos em renda fixa, o cálculo da remuneração é previamente definido e conhecido desde o momento da aplicação.

Basicamente, quem compra um título de renda fixa “empresta” dinheiro para alguém. Em troca espera receber o valor total aplicado acrescido com juros, que são a remuneração pelo tempo em que o recurso ficou emprestado.

Remuneração e rendimento

O cálculo da rentabilidade pode seguir diferentes padrões, de acordo com os tipos de papéis em análise. O economista e professor da UCAM  Marcos Mazzaroppi explica que existem 3 formas tradicionais de remuneração:

Papéis prefixados 

Neste modelo, é definido juros fixos e estabelecidos no momento em que são lançadas. Sendo assim, o investidor consegue saber no vencimento a quantidade em reais.

Papéis pós-fixados

Selic e a taxa de CDI, fazem parte deste modelo, sendo atrelados à remuneração. O valor do título é baseado nessas taxas, com isso os valores para o investidor podem mudar de acordo com o tempo de recebimento do pagamento.

Papéis híbridos

É a mescla de características dos dois tipos de remuneração anteriores. Uma parcela da remuneração é aplicada a juros fixos e a outra é unida a um indicador que pode variar ao longo do tempo.

Quais são os rendimentos das taxas?  CDI, Selic e TR

O quanto rende a renda fixa é variável, depende do prazo, de qual papel e quem é o emissor. Contudo, estes investimentos seguem indicadores de referência, os principais são Selic, CDI e a TR.

Selic

Selic, sigla para Sistema Especial de Liquidação e Custódia, é a taxa básica de juros do Brasil definida a cada 45 dias pelo Comitê de Política Monetária (Copom). 

Serve como referência tanto para as operações diárias de negociações de títulos públicos como para todas as operações de crédito nacional. 

CDI 

Certificado de Depósito Interbancário, são títulos emitidos pelos bancos como forma de capacitação ou aplicação de recursos excedentes. Representa a média dos juros das operações de empréstimos de prazos diários realizado pelos bancos entre si.

TR

Taxa Referencial, ela corrige o rendimento da poupança e é calculada a partir dos CDBs (Certificado de Depósito Bancário, investimentos de renda fixa emitido pelos bancos) prefixados, emitidos por 30 instituições financeiras. Atualmente, houve mudanças na fórmula, porém a TR continua em zero desde 2017.

Explicados os conceitos iniciais, agora vamos para a parte decisiva, quais são as principais dicas para investir:

1 - Conheça os títulos aplicados em renda fixa

É imprescindível para um investidor, que conheça o que está investindo, a segurança, rentabilidade e liquidez. Especialistas dizem que é possível ter dois destes três, assim, torna-se mais fácil entender qual o melhor para seu objetivo.

2 - Definir qual seu perfil

Conservador, moderado e agressivo, estes são os três perfis caracterizados que podem te ajudar a entender seu objetivo. O conservador prioriza a segurança, o moderado busca arriscar na medida do possível e o agressivo aposta nas melhores rentabilidades.

3 - Conhecer as taxas de administração

É necessário um conhecimento técnico de mercado, como conhecer as taxas de administração do seu banco ou corretora de investimentos.

4 - Equilíbrio e divergir

Você deve ter ciência que é necessário paciência e controle, para administrar seu capital investido. É de suma importância, o seu conhecimento sobre o campo de aplicação e distribuição do seu patrimônio.

A divergência do seu patrimônio aplicados em produtos de renda fixa é extremamente estratégico separar estas aplicações, tanto para o risco de baixa quanto para alta no mercado.

5 - Estudo de mercado e conhecimentos imprescindíveis

Em todos os setores da vida o estudo é indispensável. Neste modo de investimento, o conhecimento é ainda mais considerável, isso porque ao entender como funciona a modalidade é possível extrair as melhores rentabilidades, diminuir riscos exacerbados e criar uma carteira bem diversificada.

Já conhece a Websérie Gratuita Semana do Investidor de Sucesso, com o Prof. Marcos Mazzaroppi? São dicas e estudos de mercado exclusivos se você quer ingressar na área ou aprofundar seus conhecimentos sobre investimentos!

>> Inscreva-se aqui!

 

 

UCAM Academy
InterEDTech Tecnologias Educacionais
InterEDTech Tecnologias Educacionais Seguir

Promovemos oportunidades de novos negócios educacionais para Instituições de Ensino Superior a partir da oferta de cursos remodelados para atender as principais tendências profissionais e acadêmicas.

Ler conteúdo completo
Indicados para você